Acreditação da Idoneidade Formativa

 

A Idoneidade Formativa identifica os contextos de âmbito nacional que possuem um ambiente favorável ao desenvolvimento de processos formativos em Enfermagem, organizados pela Ordem dos Enfermeiros.

 

Para reconhecimento da idoneidade Formativa os Contextos de Prática Clínica (CPC):

 

  • Devem ser acreditados numa modalidade de Idoneidade Formativa:

IFCPC Padrão (Identifica os contextos com os requisitos mínimos obrigatórios para os processos formativos)

 

IFCPC de Referência (Identifica os contextos que asseguram o aprofundamento dos mecanismos de planeamento e controlo de todas as actividades)

 

IFCPC Modelo (Identifica os contextos que têm vocação para inovação e desenvolvimento)

 

 

(Para mais informações clique sobre uma modalidade pretendida)

 

 

  •  Devem ser acreditados pelo menos numa finalidade.

 

Consulte AQUI para mais informações sobre as finalidades a que se pode candidatar.

 

 

 

As candidaturas à Acreditação da Idoneidade Formativa dos Contextos de Prática Clínica são realizadas em plataforma informática desenvolvida para o efeito.

 

 

Consulte AQUI Regulamento da Idoneidade Formativa dos Contexto de Prática Clínica.

 

 

Para avaliação dos requisitos necessários para a construção de Idoneidade Formativa dos contextos de prática clínica, optou-se pela construção de um referencial único a partir dos enunciados descritivos dos Padrões de Qualidade dos Cuidados de Enfermagem. O sexto enunciativo descritivo - A organização dos cuidados de enfermagem, eixo estrutural que enforma o Referencial de Avaliação da Idoneidade Formativa (RAIF) nas sete dimensões que sustentam o processo de Acreditação da Idoneidade Formativa dos Contextos de Prática Clínica em Enfermagem.

 

As sete dimensões integram os quarenta requisitos do processo de acreditação, que se dividem em itens para seu reconhecimento, para cada uma das três modalidades, que expressam diferentes graus de complexidade e que se operacionalizam no RAIF.

 

  

Consulte AQUI Referencial de Avaliação da Idoneidade Formativa (RAIF).

 

 

Sempre que se candidate a uma modalidade de Idoneidade Formativa de complexidade superior (modalidade de Referência ou Modelo), os itens dos requisitos para a modalidade terão de ser cumpridos de forma cumulativa, como descrito no RAIF, sendo obrigatório o preenchimento cumulativo abrangendo todos os itens identificados para as modalidades de menor complexidade.

 

Todos os itens serão reconhecidos por um conjunto de elementos a verificar descritos na plataforma, à qual terá acesso após ter sido aceite a sua pré-candidatura.

 

Note que:

 

Os CPC's devem possuir pelo menos dois enfermeiros em processo de atribuição de competência acrescida em supervisão clínica pela a OE, para a finalidade licenciatura em Enfermagem.

 

 

No caso de se candidatar a uma finalidade no âmbito de uma área de especialidade em Enfermagem terá que possuir pelo menos dois enfermeiros em processo de atribuição de competência acrescida avançada em supervisão clínica pela OE, da mesma área de especialidade a que se candidata. Estes supervisores deverão estar em exercício efectivo.

 

Consulte AQUI Regulamento da Competência Acrescida Diferenciada e Avançada em Supervisão Clínica.

 

 

 

CANDIDATE O SEU CONTEXTO A ACREDITAÇÃO DA IDONEIDADE FORMATIVA