COVID-19

Teste obrigatório e periódico dos profissionais de saúde

  • 27-03-2020

A Secção Regional da Região Autónoma dos Açores da Ordem dos Enfermeiros acompanha com preocupação a situação vivenciada no País, e em particular nos serviços de saúde da Região, sendo que a nível nacional observa-se um número crescente de profissionais afetados, fazendo perigar a resposta que se quer adequada, atempada e articulada, em especial na fase que nos encontramos.

 

Conscientes do especial dever de colaboração a que se encontram vinculados todos os Enfermeiros, não pode a Ordem dos Enfermeiros deixar de apelar à compreensão da tutela.

 

Recomenda a Organização Mundial de Saúde que se massifiquem os testes realizados, tornando urgente testar, a começar pelos profissionais de saúde especialmente expostos, uma que o conhecimento da situação epidemiológica destes face à COVID-19 é essencial para garantir a adequação, a qualidade e a segurança dos cuidados de saúde prestados, permitindo uma mais correta e segura afetação de recursos e gestão de cuidados.

 

Neste contexto, e não obstante a Orientação nº 013/2020, de 21.03.2020, a SRRAA OE apelou à tutela o sentido de:

 

  • Se iniciar urgentemente a realização de testes, em tempo útil, a todas as equipas que neste momento asseguram cuidados;
  • Se iniciar a realização de testes periódicos a todos os profissionais, em particular aqueles que se encontram em áreas mais críticas da prestação, como sejam os lares, centros de diagnóstico pneumológico, serviços de urgência, serviços de infeciologia e de cuidados intensivos e áreas dedicadas COVID-19.

 

Para este efeito, e de forma a garantir a eficácia da decisão, sugerimos que os testes periódicos sejam realizados no momento em que as equipas de profissionais fazem a rotação de descanso, devendo o teste ser feito no dia imediatamente anterior ao do seu regresso ao serviço, o que permitiria reduzir o risco de transmissão a outros profissionais e doentes.

 

A Ordem dos Enfermeiros, e os seus membros, encontram-se, como até aqui, disponíveis para colaborar na mitigação dos efeitos sentidos, desenvolvendo todos os esforços necessários em defesa da saúde individual e pública, e em particular dos profissionais envolvidos.

 

Face ao enunciado, e porque a atual situação tem sido motivo de instabilidade e angústia entre os profissionais já diretamente abrangidos, urge cumprir a determinação da OMS, começando por testar todos os profissionais.

 

Assim, e na fase em que nos encontramos, testar e isolar é a melhor forma de conter a COVID-19.

CDR/PS/rl