Classificação de doentes

Automatização nacional a muito curto-prazo

  • 20-09-2017

“Este é um passo muito importante para a simplificação de processos e melhoria quer dos sistemas de informação, quer da disponibilidade dos enfermeiros para as pessoas – o verdadeiro core da profissão”. É desta forma que Luís Barreira, Vice-presidente da Ordem dos Enfermeiros, encara a extensão a todo o País da automatização de registo do Sistema de Classificação de Doentes (SCD/E).

De acordo com o mesmo responsável, a generalização de processos poderá ocorrer “nos próximos dias”, uma vez que foram concluídos com sucesso os testes de automatização nas instituições-piloto para a automatização do SCD/E. A isso acresce o facto de a Ordem dos Enfermeiros (OE) ter aprovado, junto dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde (SPMS), “o rollout nacional para o Quadro de Medicina/Cirurgia em todas as instituições que usam esta ferramenta de trabalho para a documentação dos Cuidados de Enfermagem”.

Esta automatização colocará um “ponto final” na duplicação de registos informáticos e permitirá “um significativo aumento de tempo dedicado aos utentes, com os potenciais ganhos em saúde que isso implica. Em pouco tempo teremos enfermeiros com maior disponibilidade para a prestação de cuidados directos à população”, salienta Luís Barreira.

Com esta medida ao nível do Quadro de Medicina/Cirurgia, “estão criadas as condições para replicar esta funcionalidade aos restantes Quadros de Classificação”.

Sendo um sistema em contínua melhoria, a OE disponibilizou um endereço de email – sie@ordemenfermeiros.pt – para que os utilizadores do SCD/E possam reportar sugestões de melhoria ou eventuais dificuldades de utilização. A informação recolhida será posteriormente enviada aos SPMS.

 

LCN