Idoneidade Formativa Padrão

A modalidade Padrão define os requisitos mínimos obrigatórios necessários para a realização de processos formativos em Enfermagem organizados pela Ordem dos Enfermeiros.

 

Para permitir a maturação de todos os requisitos necessários para os contextos que se iniciam no processo está contemplado um período de transição.

 

É definido um conjunto obrigatório de itens para o ano 0 e o cumprimento da totalidade dos itens para a modalidade Padrão até ao final do ano 4.

 

Poderá consultar todas as condições para o ano 0 e para o ano 4 no Referencial de Avaliação da Idoneidade Formativa (RAIF) AQUI

 

 

 

  • Plano de actividades
  • Enfermeiro dinamizador dos Padrões de Qualidade dos Cuidados de Enfermagem (PQCE)
  • Enfermeiro responsável pela gestão do risco
  • Enfermeiro de ligação ao grupo coordenador local do Programa de Prevenção e Controlo de Infecções e Resistência aos Antimicrobianos (PPCIRA)
  • Enfermeiro dinamizador do Sistema de Informação em Enfermagem (SIE)
  • Enfermeiro responsável pela coordenação da formação contínua
  • Formação em PQCE realizada pela OE
  • Formação em gestão do risco realizada pela OE
  • Formação em SIE, realizada pela OE
  • Formação em emergências clínicas
  • Formação em PBCI
  • Procedimento interno de notificação de incidentes
  • Procedimento de gestão de reclamações associado aos cuidados de enfermagem
  • Procedimentos para gestão da saúde ocupacional e bem estar laboral
  • Procedimentos de acordo com as normas reguladoras das Precauções Básicas de Controlo de Infecção (PBCI)
  • Procedimento de controlo e monitorização do circuito do medicamento
  • Procedimento de manutenção preventiva das instalações (sistema eléctrico, água, saneamento, elevadores, estrutura do edifício, e outros)
  • Procedimento de resposta em emergências clínicas
  • Procedimento(s) de resposta em emergência interna não clínica (incêndios, inundações, sistema eléctrico, gases, e outros)
  • Procedimento local ou institucional de avaliação da qualidade e adequação do material clínico para a prestação de cuidados de enfermagem
  • Procedimento para gestão de ocorrências e manutenção periódica dos equipamentos
  • Procedimento de gestão do processo de decisão para a delegação de tarefas de acordo com o preconizado pela OE
  • Acondicionamento adequado dos produtos
  • SIE que incorpore as fases do processo de enfermagem
  • Documento orientador dos registos clínicos de intervenção de enfermagem
  • Lotação oficial definida que não ultrapasse a capacidade máxima instalada
  • Aplicação anual da norma para o cálculo de dotações seguras de acordo com a recomendação da OE
  • Aplicação de escalas de trabalho segundo as orientações legais
  • Dois enfermeiros em processo de atribuição de competência acrescida em supervisão clínica pela OE;
  • Plano de formação anual
  • Aplicação de Normas de Orientação Clínica (NOC) da Direcção Geral de Saúde (DGS) e pareceres vinculativos da OE
  • Método de organização de trabalho de acordo com os recursos e complexidade dos cuidados de enfermagem
  • Procedimento para integração de estudantes em processos formativos
  • Procedimento para integração de enfermeiros no CPC

 

  • Relatório de actividades
  • Projecto de melhoria contínua da qualidade dos cuidados de enfermagem, de acordo com os PQCE
  • Procedimento de avaliação do nível de exaustão emocional dos enfermeiros
  • Procedimento para gestão da actividade e do repouso dos enfermeiros de acordo com o horário de trabalho, diurno/nocturno,  nas 24 horas
  • Instrumento de avaliação do grau de satisfação dos clientes face aos cuidados de enfermagem
  • SIE que utiliza a linguagem da classificação internacional para a prática de enfermagem (CIPE®)
  • Auditoria interna aos registos de enfermagem
  • Auditoria interna aos procedimentos de implementação das normas reguladoras das PBCI
  • Instrumento de avaliação da satisfação dos enfermeiros
  • Dotação de enfermeiros adequada às suas características
  • Rácios de enfermeiros adequados às suas características
  • Estabilidade da equipa de enfermagem
  • Manual com descritivo funcional local/institucional de cada colaborador
  • Dois enfermeiros certificados pela OE com competência acrescida em supervisão clínica
  • Balanço formativo anual
  • Reflexão em equipa de dilemas éticos
  • Formação contínua em PQCE
  • Formação contínua em gestão do risco
  • Formação contínua em SIE
  • Formação aos enfermeiros sobre emergências não clínicas
  • Formação  relativa ao equipamento crítico existente
  • Sessões técnico-científicas, no âmbito dos cuidados de enfermagem, (análise das práticas, normas de orientação clínica, estudos de caso, supervisão clínica, etc…)
  • Recursos de suporte informativo e pedagógico de apoio ao desenvolvimento profissional contínuo;
  • Participação em artigo e/ou póster e/ou comunicação