Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
 
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres / Pronúncias
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Benefícios para os membros
 

Informação

Imprimir página
Notícias 
03-08-2017 
USF: Ordem reitera ilegalidade de horários além das 35H 
 

O diploma que alterou o regime de organização, funcionamento e incentivos das Unidades de Saúde Familiar prevê que no modelo B o horário de 35 horas possa ter “incrementos ajustados às UC do suplemento associado às unidades ponderadas da lista de utentes”, pode ler-se no Decreto-lei nº 73/2017. Ora, para a Ordem dos Enfermeiros (OE), isso viola o disposto no Artigo 17.º do Decreto-Lei n.º 248/2009, que estabelece a Carreira Especial de Enfermagem.

Há um limite de horas semanais imposto por lei, pelo que qualquer tentativa de o ultrapassar só pode ser ilegal, reitera-se num esclarecimento que tornamos público e que se dirige aos enfermeiros a trabalhar em USF.

“Desde o primeiro momento que a Ordem manifestou a sua discordância face à possibilidade de se aumentar a carga horária para estes enfermeiros e mantemos a nossa posição: o acréscimo permitido pelo Decreto-lei nº 73/2017 não respeita a carreira, nem tão pouco a Constituição Portuguesa”, afirma Luís Barreira, Vice-presidente da OE. “Não vamos baixar os braços, não vamos aceitar mais uma injustiça aplicada aos enfermeiros”.

Para a OE, o limite de horário presente na legislação impede os enfermeiros de serem obrigados a prestar trabalho para além das 35 horas semanais (excepto, como é óbvio, nas situações em que a lei admite a prestação de trabalho suplementar/extraordinário).

Esta questão surge numa altura em que a Ordem apoia a reparação de erros do passado, com a implementação das 35 horas para todos os enfermeiros – incluindo os que possuem contratos individuais de trabalho.

Consulte aqui o esclarecimento.  

CD/LB - GCI/LCN 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros