Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
 
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres / Pronúncias
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Benefícios para os membros
 

Informação

Imprimir página
Notícias 
05-04-2017 
Ordem oferece serviço gratuito de mediação de conflitos 
 


“Os enfermeiros têm particularidades no desempenho das suas funções e na vida pessoal muito diferentes do resto da sociedade que trabalha no dia-a-dia. Há muitas coisas que os enfermeiros nos pedem ajuda, como situações de conflitos interpares, com outros profissionais ou hierarquias. Desde que chegámos que pretendemos que esta seja uma casa ao serviço dos enfermeiros, porque são eles que a sustentam, por isso faz todo o sentido que a Ordem seja cada vez mais um prestador de serviços aos enfermeiros”, destaca a Bastonária Ana Rita Cavaco.

O serviço de mediação de conflitos é um meio extrajudicial de resolução de litígios, voluntário e confidencial, em que as partes, assistidas por um mediador, comprometem-se a cooperar e, de boa fé, a alcançar um acordo para a situação que as opõe.

“É um protocolo que vai abranger cerca de 70 mil profissionais onde vamos poder atalhar os conflitos à sua nascença para todos os enfermeiros, quer na esfera profissional quer na pessoal. Qualquer assunto legalmente arbitrável pode ser recebido no nosso Centro de Arbitragem. É um serviço que vamos prestar pela primeira vez porque em Portugal nunca foi realizado um protocolo desta dimensão com nenhuma ordem e penso até que na Europa é algo inédito”, salienta o Director-Executivo do CAUAL, Carlos Cardoso.

Já o presidente da CEU, António de Lencastre Bernardo, salienta a “mais valia de se poder contribuir para a resolução de conflitos fora da área judicial”.

Para poder usufruir gratuitamente deste serviço, deverá contactar o Centro de Arbitragem através do email enfermeiros.mediacao@autonoma.pt ou do telefone 213177603 disponível das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 17h.

Saiba mais em que consiste e quais as vantagens do serviço de mediação de conflitos:

O que é a mediação conflitos?

É um meio extrajudicial de resolução de conflitos, voluntário e confidencial, em que as partes, assistidas por um terceiro elemento (o mediador), comprometem-se em cooperação e de boa fé, alcançar um acordo para a situação que as opõe.
 
Quem é o mediador de conflitos?

É um terceiro elemento imparcial e independente, desprovido de poderes de imposição aos mediados, que os auxilia na tentativa de construção de um acordo final sobre o objecto do litígio. O mediador de conflitos é um facilitador de comunicação que, com técnicas próprias, ajuda as partes envolvidas no conflito, a desbloquearem barreiras na comunicação entre si.
 
Em que consiste o serviço?

Este é um serviço gratuito, oferecido pela Ordem dos Enfermeiros que abrange todos os profissionais com a inscrição activa na Ordem. Os Enfermeiros poderão submeter ao Centro de Arbitragem litígios que resultem de conflitos em contexto laboral (com colegas, com chefias, com utentes, etc.) ou de conflitos que resultem da sua esfera privada (conflitos de vizinhança, conflitos ao nível do consumo quotidiano, conflitos familiares, entre outros).

Quais as vantagens em recorrer ao Centro de Arbitragem?

Recorrer a um centro de arbitragem, e em particular à mediação de conflitos, tem como principais vantagens:
 
- A preservação das relações futuras entre as partes envolvidas;
- Maior celeridade na resolução do litígio;
- Humanização da justiça;
- Desjudicialização dos tribunais
- Participação do cidadão na resolução do seu próprio conflito – concessão do “empowerment” ou da capacitação para participar directa e activamente na resolução do conflito;
- Baixo custo financeiro;
- Eficácia dos resultados – “Win-win”;
- Garantia de privacidade e sigilo;
- Redução do desgaste emocional;
- Promoção de ambientes cooperativos, transformando e melhorando o relacionamento entre as pessoas;
- Maior bem-estar;
- Mais paz social.

PSDias 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros