Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
 
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres / Pronúncias
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Benefícios para os membros
 

Informação

Imprimir página
 
19-01-2018 
Faltas injustificadas: Ordem denuncia perseguição aos Enfermeiros no Norte 
 

A Administração Regional de Saúde (ARS) do Norte deu instruções a todas as Unidades de Saúde para marcarem faltas injustificadas aos Enfermeiros que aderiram à greve em Setembro, entre os dias 11 e 15.

A Ordem dos Enfermeiros entende que se trata de uma medida sem cabimento legal, condenada ao fracasso, querendo acreditar que tais procedimentos não serão desencadeados, sob pena de apenas poderem ser encarados como persecutórios, face à sua ilegalidade. A posição da Ordem já foi comunicada ao presidente da ARS Norte, e da mesma foi dado conhecimento à Secretaria de Estado da Saúde. 

 “Este tipo de actuação afecta a dignidade e o prestígio da Enfermagem, além de ser uma perseguição inaceitável aos Enfermeiros”, diz Luís Barreira, Vice-Presidente da Ordem, acrescentando que “é inacreditável como se atenta contra uma profissão que já se debate com problemas gravíssimos”.

“Atacar a profissão de um modo sistemático e que podemos interpretar como vingativo por causa das recentes denúncias dos Enfermeiros não é uma mera questão laboral ou de natureza sindical. Por isso, se esses procedimentos se vierem a concretizar a Ordem não vai abdicar das suas atribuições”, avisa ainda Luis Barreira.

 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros