Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
 
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres / Pronúncias
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Benefícios para os membros
 

Informação

Imprimir página
Notícias 
18-11-2016 
Évora: Ordem pede demissão do Enfermeiro-Director 
 
A Ordem dos Enfermeiros (OE) já notificou a administração do Hospital de Évora a solicitar a mudança do Enfermeiro-Director e admite avançar com uma participação criminal por assédio moral aos enfermeiros daquela unidade.

“Estou certa que não chegaremos ao ponto de utilizar a prerrogativa de participação criminal por assédio moral aos enfermeiros”, defende a bastonária Ana Rita Cavaco num ofício enviado à presidente do Conselho de Administração do Hospital do Espírito Santo, em Évora.

A Bastonária pede a mudança do Enfermeiro-Director “por manifestamente desconhecer os princípios legais ao exercício deste cargo e incumpri-los”, mesmo depois da intervenção da Ordem. E recorda também que no último ofício enviado ao Hospital de Évora já dava nota da “postura abusiva e do desconhecimento dos normativos legais” por parte do Enfermeiro-Director.


“Liderar é, antes de mais, ser capaz de motivar e unir. Quem não consegue, não pode assumir funções de chefia, porque isso coloca em causa a qualidade dos serviços prestados”, defende Ana Rita Cavaco.

À Ordem continuam a chegar “relatos muito preocupantes” relativamente à actuação do Enfermeiro-Director, os quais já levaram à intervenção de advogados em representação de enfermeiros membros da OE.

“O Serviço Nacional de Saúde (SNS) já tem demasiados problemas para solucionar, a maioria deles criados pela falta de contratação de enfermeiros para os serviços por forma a garantir a segurança de todos (…). Também é esta a função de um Regulador profissional, ignorá-la é falhar às pessoas e ao País”, lembra Ana Rita Cavaco.
FM/PG 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros