Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Eleições OE 2015
Beneficios para os membros
 

Informação

Imprimir página
Notícias 
18-11-2016 
Évora: Ordem pede demissão do Enfermeiro-Director 
 
A Ordem dos Enfermeiros (OE) já notificou a administração do Hospital de Évora a solicitar a mudança do Enfermeiro-Director e admite avançar com uma participação criminal por assédio moral aos enfermeiros daquela unidade.

“Estou certa que não chegaremos ao ponto de utilizar a prerrogativa de participação criminal por assédio moral aos enfermeiros”, defende a bastonária Ana Rita Cavaco num ofício enviado à presidente do Conselho de Administração do Hospital do Espírito Santo, em Évora.

A Bastonária pede a mudança do Enfermeiro-Director “por manifestamente desconhecer os princípios legais ao exercício deste cargo e incumpri-los”, mesmo depois da intervenção da Ordem. E recorda também que no último ofício enviado ao Hospital de Évora já dava nota da “postura abusiva e do desconhecimento dos normativos legais” por parte do Enfermeiro-Director.


“Liderar é, antes de mais, ser capaz de motivar e unir. Quem não consegue, não pode assumir funções de chefia, porque isso coloca em causa a qualidade dos serviços prestados”, defende Ana Rita Cavaco.

À Ordem continuam a chegar “relatos muito preocupantes” relativamente à actuação do Enfermeiro-Director, os quais já levaram à intervenção de advogados em representação de enfermeiros membros da OE.

“O Serviço Nacional de Saúde (SNS) já tem demasiados problemas para solucionar, a maioria deles criados pela falta de contratação de enfermeiros para os serviços por forma a garantir a segurança de todos (…). Também é esta a função de um Regulador profissional, ignorá-la é falhar às pessoas e ao País”, lembra Ana Rita Cavaco.
FM/PG 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros