Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
 
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres / Pronúncias
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Benefícios para os membros
 

Informação

Imprimir página
 
12-07-2017 
Especialistas: Ordem alerta para ameaça à segurança das pessoas 

A Ordem dos Enfermeiros assume uma preocupação extrema com a falta de resposta e de soluções por parte do Governo para a situação dos Enfermeiros Especialistas e destaca as seguintes questões: 

  •          Todos os dias chegam à Ordem dos Enfermeiros relatos de cidadãos e de enfermeiros sobre problemas que ocorrem nos blocos de partos e nos serviços de Obstetrícia dos hospitais e centros de saúde de Norte a Sul do país;
  •          Continuamos a assistir a transferências de grávidas entre blocos de partos de hospitais diferentes, que levantam dúvidas com a segurança dos cuidados e das próprias pessoas;
  •          Iniciou-se o período de férias de Verão e os serviços estão ainda mais desfalcados no número de enfermeiros, colocando-se sérias questões sobre a qualidade e a segurança dos cuidados de saúde que não podem esperar até Setembro para serem solucionadas;
  •          É urgente que haja desenvolvimentos concretos e consequentes ao nível das negociações para se encontrar, com seriedade, uma solução para o problema dos Enfermeiros Especialistas e da carreira que não têm as suas competências de especialidade reconhecidas;
  •          O Governo tem de assumir o fim do congelamento das progressões, que perdura desde 2005 à custa do sacrifício profissional e pessoal dos cerca de 70.000 enfermeiros portugueses, e tem de avançar com uma nova carreira;
  •          Hoje entram no protesto a maior maternidade do país – a MAC – e o maior Centro Materno-Infantil no Norte do país – CMIN Santo António –  que se junta ao bloco de partos do Hospital de São João.

Enquanto órgão regulador, a Ordem reitera a sua total solidariedade com os Enfermeiros Especialistas e todos os Enfermeiros que lutam pelo reconhecimento das suas competências num protesto que assenta apenas no cumprimento das suas obrigações contratuais.

 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros