Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
 
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres / Pronúncias
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Benefícios para os membros
 

Informação

Imprimir página
Notícias 
06-06-2017 
Especialistas de Norte a Sul do País notificam Ordem de boicote 
 
O bloqueio aos cuidados especializados pode encerrar vários serviços do SNS

A Ordem dos Enfermeiros (OE) já recebeu notificações de mais de uma dezena de serviços de todo o País a informarem que os enfermeiros especialistas vão deixar de exercer as suas competências de especialidade, a partir de 3 de Julho, caso não sejam revistos os seus contratos individuais de trabalho e respectiva remuneração.

“Esta tomada de posição já é um movimento de âmbito nacional, que atinge diferentes especialidades e que conta com o apoio total da Ordem, que é a única entidade que atribui o título de especialista. Mas infelizmente, apesar da ameaça latente de bloqueio de serviços do SNS, até agora não tivemos qualquer tomada de posição do senhor Primeiro-ministro já que este assunto não está na mão do Ministro da Saúde. Esta situação não pode continuar a ser ignorada pelo Governo, sob pena de dentro de algumas semanas fecharem serviços nos hospitais de Norte a Sul do País”, alerta a Bastonária Ana Rita Cavaco.

A OE teve conhecimento, por escrito, das manifestações enviadas aos presidentes dos conselhos de administração e ao ministro da Saúde por enfermeiros especialistas em Saúde Infantil e Pediátrica, Reabilitação, Médico-Cirúrgica e Materno Obstétrica de todo o País: 

- ACeS Alto Ave, 

- ACeS do Cávado III/Barcelos/Esposende,

- ACeS Espinho/Gaia,     

- CH Baixo Vouga,

- CH de Setúbal,

- CH do Oeste, 

- CH Lisboa Central,

- CH Lisboa Norte,

- CH Lisboa Ocidental,

- CH Médio Tejo,

- Hospital do Espírito Santo (Évora), 

- Hospital Fernando Fonseca (Amadora-Sintra),

- Hospital Sra. da Oliveira (Guimarães),

- ULS Baixo Alentejo,

- ULS Castelo Branco,

- ULS Guarda,

- ULS Norte Alentejano,

- ULSAM - Unidade Local de Saúde do Alto Minho.

Ana Rita Cavaco lembra ainda que “ainda está por cumprir o compromisso assumido pessoalmente pelo Ministro da Saúde para a criação de um regime de excepção para a Saúde deixar de depender das Finanças as autorizações de contratações e substituições de enfermeiros do SNS, o que continua a provocar o encerramento de camas por todo o País.

(Informação em actualização)

PSDias 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros