Bem-vindo à página da Ordem dos Enfermeiros

Apoio à navegação

Tem à sua disposição 2 elementos auxiliares de navegação: motor de pesquisa (tecla 1) | Saltar para o conteúdo (tecla de atalho 2)
Página Inicial da Ordem dos Enfermeiros
 
Pesquisar
Ignorar hiperligações de navegação
A Ordem
A Enfermagem
Membros
Colégios
Informação
Notícias
Press Releases
Revista da OE
Resenhas de Imprensa
Newsletters
ExpressOE
Galeria de Imagens
Pareceres / Pronúncias
Tomadas de Posição
Documentos Oficiais
Legislação
Publicações
Inserção Profissional e Empreendedorismo
Relações Internacionais
Projectos e Programas
Eventos da OE
Links
Agenda
English Information
Estrutura de Idoneidades
Estrutura de Sistemas de Informação em Enfermagem
FAQ's
Benefícios para os membros
 

Informação

Imprimir página
Notícias 
13-02-2017 
Comunicado: Ordem dos Enfermeiros processa TVI 

Na sequência da reportagem “As contas da Ordem” emitida ontem, domingo, 12 de Fevereiro, no Jornal Nacional da TVI, a Ordem dos Enfermeiros (OE) entendeu dever emitir o seguinte comunicado:

1 - A Bastonária não foi ouvida a propósito dos factos apresentados na referida reportagem, apesar de ter mostrado total disponibilidade para ser entrevistada, prestar todos os esclarecimentos e apresentar os respectivos documentos à TVI, a partir de 16 de Fevereiro próximo, dado, até lá, encontrar-se ausente do país.

2 – Por sua vez, em momento algum a OE, enquanto instituição, foi questionada sobre os supostos factos, documentos e eventos descritos na referida reportagem da TVI. As questões previamente colocadas pela TVI à OE e a que esta respondeu, eram todas de natureza genérica, sem se referir quaisquer factos, documentos ou eventos em concreto, que, afinal, foram trabalhados jornalisticamente e emitidos na reportagem como dados incontestáveis.

3 – Por tais motivos, nem a instituição nem os seus dirigentes foram ouvidos, tendo-se-lhes sonegado o exercício do direito ao contraditório, antes da peça ir para o ar.

4 – Tais factos, documentos e eventos apresentados na reportagem da TVI ou são falsos, ou estão deturpados ou das suas características e circunstâncias não é possível retirar as conclusões que deles se extraíram na identificada peça jornalística.

5 – A urgência injustificada da TVI em emitir a reportagem, bem como a indisponibilidade para informar, em concreto, os factos que pretendia ver esclarecidos, são incompatíveis com uma informação isenta e imparcial o que, aliás, transparece com clareza da peça televisiva.

6– Em todo o caso, a OE não estranha as calúnias agora publicadas, sobretudo depois de ter sido denunciado pela sua Bastonária, ainda como enfermeira, o negócio do sangue, anunciado um processo contra o Estado por discriminação nos contratos dos enfermeiros, e de ter questionado as empresas que ganham dinheiro como intermediárias na cedência temporária de enfermeiros ou enfrentado os poderes instalados nas administrações hospitalares.

7 – É, pois, em nome da transparência e em respeito para com todos os cidadãos em geral e pelos enfermeiros em particular que a OE disponibiliza os esclarecimentos prestados à TVI quanto às perguntas genéricas por esta estação de televisão formuladas, neste link.

8 – Além disso, a OE, à semelhança do que já fez no início do mandato corrente, em relação a procedimentos anteriormente adotados, irá solicitar, de novo, audiências ao Tribunal de Contas e à Autoridade Tributária, com vista ao esclarecimento cabal da legalidade dos procedimentos internos da instituição.

9 – A Ordem dos Enfermeiros (OE) pretende ainda tornar público que, na sequência dos danos incorridos na reputação pessoal, institucional e profissional quer desta associação pública, quer dos seus dirigentes, desencadeará de imediato iniciativas para reposição da legalidade, destacando de entre elas os necessários procedimentos judiciais.


 

Patricia SD 
  © 2012 Ordem dos Enfermeiros